Palavra do Curador

O Terceiro Setor abriu um campo de investigação e de atuação nestes últimos vinte nos de grandes proporções. A diversidade das formas associativas desencadeia processos de inovação cultural, social e política, capazes de renovar profundamente o Brasil. Também gera compromissos com a democratização, com a socialização do poder e com a extensão da cidadania à grande massa da população.

airton_grazzioliO Terceiro Setor é um espaço político-social que deve ser ocupado com criatividade e competência técnica, teórica e política. Estes são os pressupostos que devem reger a ação profissional destas instituições.

Nas fundações e nas associações de interesse social os seus agentes não devem apenas ser meros executores de programas ou projetos, mas planejadores e propositores de políticas públicas, na linha dos interesses da maioria da população, especialmente a mais carente de oportunidades.

Para o Estado é fundamental trabalhar com as questões sociais que se apresentam para a sociedade, e que as instituições do Terceiro Setor, com ética e responsabilidade, sejam sensíveis promotoras.

Diante disso, a atuação dos profissionais no Terceiro Setor deve estar vinculada – do gerenciamento à execução de projetos -, à sólida formação e capacidade crítica e autônoma de seus agentes.

O futuro das políticas sociais se delineia sob uma nova perspectiva de proteção social – que é a própria sociedade civil. E por meio do Terceiro Setor, protegendo-se na sua integridade, a comunidade é capaz de motivar a existência de uma “sociedade autoregulada”. É nela que pode se manifestar a livre iniciativa dos cidadãos, seus interesses, suas organizações, sua cultura, seus valores e suas necessidades. Os cidadãos pertencentes a esta reconfiguração da sociedade civil são indivíduos providos de uma solidariedade que articula a economia social em detrimento de políticas de cunho individual e de meras benesses.

É neste viés que o PROJETO OBSERVATORIO DO TERCEIRO SETOR deve se inserir, porque não existe provocação social, movimentação consciente e crítica do Terceiro Setor se não houver agentes capazes e preparados, conscientes e ativos.

Airton Grazzioli
Membro do Ministério Público do Estado de São Paulo
Promotor de Justiça – Curador de Fundações de São Paulo
Vice-Presidente da Associação Nacional dos Procuradores e Promotores de Justiça de Fundações e Entidades de Interesse Social