Por ano, quase 14 milhões de meninas são obrigadas a se casar

Por ano, quase 14 milhões de meninas são obrigadas a se casar

De acordo com o Fundo da Nações Unidas para a Infância (UNICEF), o número de meninas que terão casado durante suas infâncias poderá chegar a 1 bilhão em 2030. A organização luta para combater o matrimônio infantil em 12 países da África, Ásia e Oriente Médio.

Quase 14 milhões de meninas são forçadas a se casar a cada ano. São 37 mil meninas diariamente. E, segundo estimativas da ONU, nascem cerca de 14 milhões de crianças de mães adolescentes por ano em todo o mundo.

O Programa Global UNFPA-UNICEF para Acelerar as Ações para Acabar com o Casamento Infantil faz parte de um esforço amplo para evitar que meninas se casem muito jovens e para apoiar aquelas que já se casaram. O projeto conta com o apoio do Canadá, União Europeia, Itália, Holanda e Reino Unido.

As meninas que são casadas quando ainda são crianças estão mais propensas a deixar a escola, a sofrer violência doméstica, a contrair HIV/AIDS e a morrer devido a complicações durante a gravidez e o parto.

O casamento infantil também prejudica as economias, levando à perpetuação da pobreza. E o Brasil é o quarto no mundo no ranking de meninas casadas ou que vivem com um parceiro aos 15 anos de idade.

No último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), realizado em 2010, 877 mil jovens do sexo feminino entre 20 e 24 anos afirmaram que já eram casadas quando tinham 15 anos. As leis brasileiras garantem o direito de jovens casarem aos 16 anos com o consentimento dos pais, ou mais cedo em algumas circunstâncias, como a gravidez.

O casamento precoce aumenta o risco de doenças e morte durante o parto. Como no caso da menina Fawziya, 12 anos, que morreu durante o parto. O bebê também não resistiu. Fawziya foi forçada a sair da escola para casar-se com um homem de 24 anos. O caso ocorreu no Iêmen. Outro caso horrível que aconteceu no país foi da menina Rawan, 8 anos, obrigada a se casar com um homem de 40 anos. Morreu devido a ferimentos internos na lua de mel.

O UNICEF e o UNFPA fazem um apelo aos governos e organizações parceiras para que apoiem o novo Programa Global que ajudará a acabar com o casamento infantil até 2030.

Comente