Homem viaja sozinho para a China e salva a vida de 1 mil cachorros

Todos os anos ativistas do mundo inteiro tentam acabar com o Yulin Dog Eating Festival (Festival da Carne de Cachorro de Yulin).

O festival é realizado na cidade de Yulin, localizada ao sudeste da região autônoma Zhuang de Guangxi, na China. Cerca de 10 mil cães são mortos em matadouros improvisados na rua, cozidos e servidos ali mesmo.

A crueldade é tanta que muitos donos de matadouros de cães torturam os animais antes do festival, para ativistas comprarem rapidamente, antes que o cachorro morra ou sofra mais.

O norte-americano de origem chinesa Marc Ching, revoltado com tanta maldade com os animais fundou a The Animal Hope & Wellness Foundation. Mesmo morando na Califórnia, Estados Unidos, todo ano ele viaja para a cidade de Yulin para tentar acabar com o festival.

No ano passado, com dinheiro de doações, Marc conseguiu comprar seis matadouros clandestinos e imediatamente fechou os locais. Com ajuda de ativistas locais, conseguiu retirar mais de 1 mil cães em caminhões lotados. Muitos dos animais resgatados morreram por conta do tratamento cruel dado a eles antes mesmo do festival. Mas muitos outros cães estão bem e sendo tratados por ativistas chineses em bases espalhadas por cidades próximas a Yulin.

Marc admite, porém, que comprar os matadouros talvez não seja a melhor solução. O ativista já recebeu muitas criticas, falando que seu trabalho não acaba com o festival e nem salva todos os cães. Sobre isso Marc fez um desabafo na sua página no Facebook. “Há uma grande oposição ao trabalho e há muitas pessoas lá fora que acreditam que nós não deveríamos salvar esses cachorros. Acreditam também que isso não muda muita coisa e que faz as coisas ficarem ainda piores”, lamenta Marc .“Na vida, tudo que eu posso fazer é viver por meu coração”, finaliza o ativista, que já recolhe doações para o próximo festival.

Comente