Brasil é o quarto país mais corrupto do mundo

A Operação Lava Jato colocou em evidência a corrupção que há séculos toma conta do país. O problema é tão enraizado que, até alguns anos atrás, o famoso “ jeitinho brasileiro” era usado em propagandas como sendo positivo e a marca do brasileiro.

O nome da operação foi inspirado em uma rede de postos de combustíveis e lava a jato de automóveis para movimentar recursos ilícitos pertencentes a uma das organizações criminosas inicialmente investigadas. Embora a investigação tenha avançado para outras organizações criminosas, o nome inicial se consagrou.

A Operação Lava Jato é a maior investigação de corrupção e lavagem de dinheiro da história do país. Estima-se que o volume de recursos desviados dos cofres da Petrobras, maior estatal do país, esteja na casa de bilhões de reais.
Com escândalos assim vindo à tona, os brasileiros finalmente perceberam o quanto são prejudicados e como uma minoria aproveita o dinheiro público.

Uma pesquisa realizada pelo Fórum Econômico Mundial mostra o Brasil como o quarto país mais corrupto do mundo. Os únicos países mais corruptos são o Chade, localizado no centro-norte da África; a Bolívia; e a Venezuela.

A corrupção é um dos elementos que a organização suíça inclui em seu índice anual de competitividade, baseado em uma pesquisa com 15 mil líderes empresariais de 141 economias do mundo. Em uma escala de um a sete, em que, quanto maior a nota, maior é a transparência, o Brasil recebeu 2,1.

Entre as 10 nações mais corruptas do ranking do Fórum Econômico Mundial cinco são latino-americanas. Um relatório do Fórum publicado em junho de 2016 assinalava a corrupção como o maior problema que a América Latina precisa enfrentar, segundo seus líderes políticos e empresariais. Escândalos como o da Petrobras, no Brasil, as acusações contra a ex-presidente da Argentina Cristina Kirchner e o suborno de que é acusado o ex-governante guatemalteco Otto Pérez-Molina mantiveram a região estagnada.

O Brasil foi o país que registrou a maior piora na percepção dos cidadãos sobre o nível de corrupção no setor público no mundo, caindo sete posições no ranking realizado com 168 países pela Transparência Internacional. O Brasil divide a 76ª posição com mais seis países: Bósnia e Herzegovina, Burkina Faso, Índia, Tailândia, Tunísia e Zâmbia.

Comente