Refugiados e Maria da Penha

Refugiados e Maria da Penha

No nosso programa de rádio desta terça (28/03), nós falamos sobre o aumento do número de imigrantes e refugiados no Brasil e sobre a indicação da brasileira Maria da Penha ao Nobel da Paz 2017.

Para falarmos do primeiro tema, recebemos no estúdio Mari Gaberlini, coordenadora geral do Abraço Cultural, e Maria Ileana Faguaga (Mimi), imigrante cubana ligada à área das Ciências Sociais e professora de espanhol no Abraço Cultural. Elas explicaram o trabalho da organização sem fins lucrativos, voltada para a integração de imigrantes no Brasil, e discutiram os desafios enfrentados por quem teve de deixar sua terra de origem.

Já para o segundo tema, conversamos por telefone com a própria Maria da Penha, que atua há décadas no combate à violência doméstica, inspirou a lei que leva seu nome (Lei nº 11.340/ 2006) e fundou um instituto dedicado à questão, o Instituto Maria da Penha. Entre as questões abordadas por ela na entrevista estão a resistência de gestores públicos de diversas partes do país em aplicarem corretamente a lei, como ela enxerga a indicação ao Nobel da Paz e a campanha que seu instituto está realizando para arrecadar fundos.

O programa foi apresentado pelos jornalistas Joel Scala e Franklin Valverde.

One Comment

  1. Gestores públicos ainda resistem à aplicação da Lei Maria da Penha - Observatório do 3° Setor
    mar 30, 2017 @ 17:12:56

    […] a entrevista completa aqui. A entrada da farmacêutica foi aos 38’30” do […]

    Reply

Comente