Teleton 2016 atinge a meta de arrecadação em prol da AACD

O Observatório do Terceiro Setor fez a cobertura pelo quarto ano consecutivo entrevistando diversas personalidades presentes no evento

teleton-2016

O Observatório do Terceiro Setor cobriu pelo quarto ano consecutivo a campanha do Teleton, realizada pelo Sistema Brasileiro de Televisão (SBT). O evento aconteceu nos dias 4 e 5 de novembro, reunindo vários artistas. O objetivo era arrecadar 27 milhões de reais para a Associação de Assistência à Criança Deficiente, a AACD.

portal-1

Tiago Abravanel – Foto: Nathalia Oliveira

“São 19 anos de muito trabalho, com a dedicação de muitos profissionais pra mudar a vida de tantas crianças que precisam de ajuda; fazer o Teleton para cada um dos artistas é uma renovação de almas, porque não tem preço que pague você ver a transformação na vida dessas crianças”, disse o ator e cantor Tiago Abravanel. “A gente vive num país onde o trabalho é difícil, conseguir dinheiro é difícil, a gente sua, mas o trabalho que a AACD faz também é suado”, completou.

No ano passado a meta era arrecadar 26 milhões de reais, mas a campanha fez tanto sucesso que conseguiu 31 milhões para ajudar a Associação. Este ano a meta de 27 milhões foi atingida em 26 horas de evento, mas o valor não alcançou o recorde do ano passado.

Entre tantos artistas experientes nas telonas, até mesmo os mais novos participaram do Teleton. Larissa Manoela, cantora e atriz de apenas 15 anos querida pelas crianças por seus trabalhos na novela Carrossel e atualmente protagonista de Cúmplices de um Resgate (ambas do SBT), disse o quão gratificante é participar do evento: “Pra mim, é uma energia maravilhosa participar do Teleton, é uma honra e um prazer muito grande, e a cada dia que passa a gente consegue ver que mais pessoas estão fazendo o bem, mais pessoas estão engajadas nesse projeto em prol das crianças da AACD”.

João Guilherme e Larissa Manoela - Foto: Nathalia Oliveira

João Guilherme e Larissa Manoela – Foto: Nathalia Oliveira

“Grande parte das nações desenvolvidas tem sua população fazendo serviço voluntário, no Brasil ainda tem um baixo índice de voluntariado. Nós temos que trabalhar com esse conceito de doar, seja doar uma parte do seu tempo, da sua expertise, do seu conhecimento, porque doar não é só dinheiro”, disse Floriano Pesaro, Secretário do Desenvolvimento Social, que também estava presente no evento.

O secretário citou o Teleton como um exemplo de que é possível mobilizar as pessoas por uma causa importante e incentivá-las a doar dinheiro. “Valores pequenos unidos a uma campanha com milhares de pessoas, inclusive de outros países, ajudam no incentivo de doação para o Teleton”, afirmou. “E também é muito importante mostrar para onde vai o dinheiro, as pessoas gostam de ver a transparência com relação à destinação de sua doação”.

A AACD foi criada há 66 anos e possui diversos canais de captação de recursos, entre eles o Teleton, que buscam garantir a autonomia e a proposta de sustentabilidade da instituição. Diversas atividades são realizadas e não só a reabilitação física dos pacientes. Capacitação profissional, programas de sustento para pessoas com deficiência e suas famílias e inclusão esportiva fazem parte do cronograma e dos projetos da AACD. São 13 centros de reabilitação e 6 oficinas ortopédicas no Brasil, realizando mais de 1,2 milhão de atendimentos por ano.

Comente